sábado, 31 de julho de 2010

Bleeds scarlet.



La fora chove,molhando minha janela
Em meu rosto há apenas o reflexo da minha alma
Lágrimas...lágrimas que nascem em meus olhos
escorrem em minha face e morrem em meu travesseiro.
Estou confusa...tenho medo!
Já não sei mais o que vale apena
Em que devo acreditar
Em que me segurar
Aqui estou eu afogada em um mar
de devaneios e constantes desatinos.
Nada entendo
Não quero iludir-me com falsas verdades
mas a realidade é tão amarga  e sombria
que até prefiro assim...
Fantasiar a realidade de sonhos.
Em meus olhos vislumbre de tristeza e dor
Olho-me no espelho, e será eu mesma?
Já não vejo o brilho dos meus olhos
apenas um olhar vazio
Minhas mãos assim como meu coração
estão gelados
E a dor na minha alma...ah esta cresce fugaz!
Será que tenho saída?
Talvez o tempo...
O tempo...
Talvez cure-me desse mal que me corrompe...solidão
Resolva meus problemas
solucione minhas questões...
E estanque o ferimento do meu coração que sangra escarlate.




                                      Autora: Mari Cavalcanti.     03/2010  -   31/07/2010

8 comentários:

Lucca_d disse...

cara muito bom teu poema vo ate vira seguidor,

retribuindo ;)

Raphael Andrade disse...

Olá mari.
Fico muito feliz por ter gostado do meu blog.
Muito sucesso ai.
Bjos

Suki Oliveira disse...

nossa lindo poema apesar da tristeza das palavras
minha poetiza favorita(pelo menos dos blogs)*-*

Mari Cavalcanti. disse...

Ah...*-*

Manuel Sans disse...

antigamente eu mantinha um fotolog e essa foto que você postou era uma que eu jáhavia postado lá.amei!A poesia é linda.Amei as fotos que você add no lado direito do blog.Boa noite!

Lucas disse...

lindo, você cria poemas perfeitos!
lindo mesmo!

Mari Cavalcanti. disse...

Que bom que gostou Lucas *-*

Carolina disse...

Muito bom blog.
Boas fotos.

Muito fixe mesmo.

Parabens