quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Meaningless



Eu não encontro mais sentido
no bater de asas das borboletas.
Nem no fogo que queima
Nem na água que molha
Não vejo mais sentindo
no piar matinal dos pássaros.
Na cor azul do céu.
Aliás por que o céu é azul?
Por quê não rosa ou lilás?
Não sei...é tudo tão sem nexo.
Não há sentido no sol que aquece-nos.
No vento em minha janela.
Não tem sentido nos carros
que andam por ai.
Nem na mais doce melodia.
Não vejo sentido na palavra amor.
Talvez nem haja sentido nas palavras
que aqui escrevo.
A verdade é que sem você
Não vejo mais sentido em viver.
Nem mesmo em existir.
Sem você ao meu lado.
O sentido fica tão sem sentido.


                                                   Mari Cavalcanti   01/12/2010

4 comentários:

Lais Meury disse...

amei *--*

Allefy disse...

sempree criiatiiva *--*

Jhordan Marques disse...

adorei o post

Bull disse...

Como diz Adélia Prado:
"Deus de vez em quando me tira a poesia. Olho para uma pedra e vejo uma pedra".
Mas mesmo que as vezes não vejamos sentidos nas coisas, precisamos acreditar nelas (para podermos sonhar).

Lindos seus textos!